Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

domingo, junho 25, 2006

Alma lhe puxa

Tu mi ama muito
Sim todo dia
Todo noite
Sim, mim saber
Palavra manda
Coraçõ aceita

Mas problema mi amô
É que eu amar seu coraçõ
E você meu dinheiro
Meu amô de cada nota
Minha nota de cada dia

Mas eu esquecer
Palavra manda
Coraçõ aceita
Corpo precisa
Alma lhe puxa