Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, junho 29, 2006

Enseada



Eu sou oceano
Tu és a enseada
Índico te amo
Doce, terna fada

1 Comments:

  • At sexta-feira, junho 30, 2006 4:30:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Índico Poeta meu!!!...Sou uma mulher...muito mais que um corpo...um pôrto;que te esperou...que te encontrou...em ondas de ternura!...vem...ancóra aqui...vem!!!

     

Enviar um comentário

<< Home