Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

domingo, junho 25, 2006

Eurídice

Vem minha bela Eurídice
Não temas em teu grácil passo
As quizumbas de Hades liquefiz
Vê toda esta lonjura
Nossa eterna savana
Aqui te posso olhar
Abracemos este sol
Pulsemos esta liberdade
O nosso amor é forte
Como os embondeiros
Minha alma
Minha vertigem
Meu horizonte

Ó espíritos benfazejos
Protegei este sonho
Das micaias da vida

1 Comments:

  • At segunda-feira, junho 26, 2006 9:34:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Venerado Poeta-Amante!...nada temo,se temos os deuses ou espíritos benfazejos à nos proteger...savana das nossas aventuras,bem-aventurada seja!...e,se ainda assim a vida me for ceifada,vê o sol,o girassol...e,livra-te da dor - pois,alí estou...livre da lonjura que ora nos separa.(alegra-te,por favor...alegra-te)!

     

Enviar um comentário

<< Home