Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, junho 29, 2006

Foz de ti


É justamente
à entrada
dos teus seios
corolas da noite
que me abrigo
e faço âncora
o desejo de ti
foz de ti

1 Comments:

  • At sexta-feira, junho 30, 2006 5:46:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Amado!...Meus seios,corolas noturna;...teu ser,cálice da vida!...cálice-corola...amaram-se,num lago perdido,ensandecidos de desejos...amaram-se!!!...outro instante!...perfeito elo...anêmona pariu!...absolutamente bela no ancoradoiro de ti!!!

     

Enviar um comentário

<< Home