Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sexta-feira, junho 16, 2006

Saudade

Saudade não é o que tiveste
o que um dia amaste
Saudade é o que poderás ter
e perder, perdendo-te
Saudade, esse futuro de ti

1 Comments:

  • At domingo, julho 09, 2006 7:57:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Meu poeta!
    Saudades...é o que agora sinto...saudade de ti agora;...porque demoras?...tu bem sabes...logo é chegada...a minha hora;...perdendo-me terás saudades?...qual futuro incerto...de certo a saudade...te fará lembrar de mim!

     

Enviar um comentário

<< Home