Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

terça-feira, junho 27, 2006

Savaneira rola

É nesta vertigem total
Razão expulsa
Emoção erecta
Que te beijo
Savaneira rola
E esculpo
Fremente suplicante
As ancas da tua alma
Vá, sê laranja fresca
Não polpa de tamarindo

1 Comments:

  • At quarta-feira, junho 28, 2006 7:58:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Meu Poeta Amante!...sim!...beija-me assim...expulsando razão!...sê emoção...erecta sempre!...ancas da min'alma - esteira do teu corpo!...deita-te,ama-me!...sou laranja fresca - suga-me...doce estou!...pronta...para ser colhida,acolhida,escolhida esculpida!

     

Enviar um comentário

<< Home