Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

segunda-feira, junho 26, 2006

Sinfonia-em-ti

Em teu corpo
toco lentamente
cada tecla
desta apetência
sem perímetro
ode sem fim
como o fluir denso
do Zambeze
e pela noite fora
sob o olhar fluvial
dos deuses
e dos espíritos
se ouvem os acordes
rigorosamente belos
natureza pura táctil
desta sinfonia-em-ti

1 Comments:

  • At terça-feira, junho 27, 2006 5:23:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    ...Suave sonoridade me invade...na vibração das notas musicais.Ondas espirais e luzes multicoloridas me transportam em expansão instantânea...de girassóis energéticos;viajo na luz da tua energia...delicadeza rubra diatônica...do rosa carmim ao vermelho sangue!...oh! doce sinfonia!

     

Enviar um comentário

<< Home