Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

segunda-feira, junho 26, 2006

Teu belo ser

No fundo de cada sonho da vertigem
Sempre acabo, finalmente, por entrever
Na polpa de uma doce janela virgem
O que mais amo na vida: o teu belo ser

1 Comments:

  • At terça-feira, junho 27, 2006 6:14:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Homem...Num clímax de êxtase,sou transportada em ondas somáticas e te faço vertigem em sonho;ungida pelo teu chamado...sob doce olhar,inclino-me ao entrar no portal maior...turbilhão de desejos... já somos tomados!...Abençoados, somos despertos...pelo beijo da Vida!

     

Enviar um comentário

<< Home