Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

segunda-feira, julho 10, 2006

De novo ser teu


És a onda que me levas o sonho onde me deito
Quando entras para sair a ti sempre chego eu
Um dia dirás cansada olha lá que falta de jeito
Mas eu aproveitarei logo para de novo ser teu

1 Comments:

  • At terça-feira, julho 11, 2006 11:02:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Poeta Amado!
    Vem novamente!...novamente vem!...feito a dança das ondas...em ritmo incerto...vai e vem!...sintonia de ti...não cansarei...sintonia de nós..."é doce amar no mar"..."te quero no mar amar"...vem!...infinitas vezes...Vem!!!

     

Enviar um comentário

<< Home