Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sábado, julho 15, 2006

Mulheres da minha terra


Mulheres da minha terra!
Ó belas filhas do mar!
Ó parteiras da vida!
Ó mulheres da mêijoa!
Mêijoaaaaa!!!!!!!!!!!!!!!!

1 Comments:

  • At domingo, julho 16, 2006 3:28:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    "Oh!poeta da nossa terra...
    Tu és de uma beleza tão sutil...
    que muitos "tolos"...não percebem esta sutileza;...apenas tu,poeta...com tua destreza...percebe nosso ser..."mulheres da mêijoa"...em toda sua grandeza;apenas tu poeta...com tua sensibilidade...capta-nos a alma em toda profundidade;...à primeira vista "nos" parecemos mais,um fruto banal...mas,quem nos provar...verá...temos um sabor,muito especial!"

     

Enviar um comentário

<< Home