Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

segunda-feira, julho 03, 2006

Poemar-te


A única nação
destes poemas
é serem
rigorosamente
poemas de amor

A única bandeira
destes poemas
minha
mulher-mundo
mulher-tudo
consiste
em poemar-te
rigorosa
eterna

1 Comments:

  • At terça-feira, julho 04, 2006 3:32:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    "Oh!mundo...Oh!tudo;...a vida me foge fugaz!
    Peço a todos licença;...não compreenção!...Distinção...sim,Distinção.Sou única,até então...contrariando Platão!
    "Permitam" minha eternização...
    pelo menos aqui...neste instante singular...
    Sou bandeira de uma nação!!!"

     

Enviar um comentário

<< Home