Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, julho 06, 2006

Ponte


Olha, olha para aqui, olha este sonho
Ele tem tua dimensão, teu horizonte
Quando sais e me deixas, logo ponho
Dentro de ti a alegria de uma ponte

3 Comments:

  • At sexta-feira, julho 07, 2006 6:03:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Meu gentil poeta!
    Meu olhar - caleidoscópio...
    ópio desta realidade sombria...
    não tome para te,minha melancolía...mêdo e agônia!
    terás sempre alegria?
    diz-me sim,amor meu...
    sejas ponte...durante;...
    quando me for chegada a hora,...prometo-te...
    Serei...tua eterna poesia!!!

     
  • At domingo, julho 09, 2006 8:09:00 da tarde, Anonymous Marco A Linhares said…

    Gentil poetisa anonima
    Tua melancolía...mêdo e agônia!
    para mim como na maioria dos poetas
    é a ponte entre o pensar e o poetisar
    Olha aqui,pensa nos teus sonhos enquanto taciturna
    Vê após a tua abundante inspiração
    Ampliada a dimensão,
    Eo olhar ao horizonte
    É só alegria de uma ponte
    Travessia do pensar
    em travessia com pés enxutos

     
  • At domingo, julho 09, 2006 8:11:00 da tarde, Anonymous Marco A Linhares said…

    Anonima

    A profundidade dos teus comentários não deixa dúvidas
    Que tens alguma obras
    Nas livrarias do mundo
    Onde?
    Qual o nome?

     

Enviar um comentário

<< Home