Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

segunda-feira, julho 10, 2006

Rés ao sonho


Quando rés ao sonho te reencontro
Sempre há uma maneira de falar
Maneira simples que não tem conto
E que consiste apenas em te amar

1 Comments:

  • At quarta-feira, julho 12, 2006 7:43:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Meu sonhado Amante!
    Sonhos!...
    Quantos sonhos não vivídos...
    realidades perdidas,em espaços tênues;...Mas,não esqueçamos querido...filhos deste amor...aqui estão:tempo e razão-solução!
    Amor logo faremos...seremos...queremos!...
    vem agora então,...não demora doce encanto...tenho pressa...de ti amar!

     

Enviar um comentário

<< Home