Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, julho 13, 2006

Te reencantar

Quando todos os dias te ajoelhas diante dos sonhos
e lhes pedes que te beijem a palma das esperanças
os escolhos que te perturbam, pesados e bisonhos,
se retesam então para te reencantar como lanças

1 Comments:

  • At sexta-feira, julho 14, 2006 7:25:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Amante!
    Quando...rendida...aos pés de ti...
    Te sonho...,
    Torno-me virgem no desvairado recato!
    Sendo-te...nesta hora já primeira,vou traçando teu desenho...teu retrato!...
    Num frêmito...lado a lado;
    de quanta doçura,já tomada estou;...e esta prisma linha pura?...nada separa...nada segura!
    Sabes porque homem-mundo?
    Em sonho...me penso,me restauro,me confiro;me perco,me procuro,me..me...me...
    e, só mesmo,quando...tua lança...lança-me,..."desperto"..."lenta"...
    em meu, mais íntimo suspiro!...Ama-me!!!

     

Enviar um comentário

<< Home