Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

domingo, agosto 06, 2006

Almo-te


(Para Campo Meu)

Se alma vem de ti
Almo-te vem de mim
Sou a crista deste caminho
Desta saga sem fronteiras
Que de mim sai e a ti chega
Sem nunca a ti chegar
Porque de ti nunca saiu.


(Acrílico de Cristina Ruiz, pintora, poetisa e escultora mexicana)

2 Comments:

  • At segunda-feira, agosto 07, 2006 4:04:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Amante Poeta meu!
    Sendo-te alma minha
    povoas meus pensamentos
    e me enleva a alma no em-ti;
    Mostra-me a beleza cadima dos meus sonhos...
    transporta-me às entranhas
    e vorazmente seduz todo o meu ser;

    Ó amado,âmago,princípio de nova era
    porque castra-me a vida a liberdade?

    Universo de mim mesmo
    espaço de minha essência
    como no ser e vir-a-ser contínuo,
    quero tudo...teu amor...ter-te!
    Toma-lo em meus braços
    é o meu maior desejo...
    E num êxtase supremo de carícias
    deixar que a vida nos conceda a calma!

    Ó amado,âmago,meu espírito sempre
    inclinado
    a ti rende culto!
    Sois Deus
    meu Deus!
    Minha-Tua voz - oração
    Eterna veneração...
    Adoro-te!
    Adoro-te!
    Adoro-te!
    Oh!doce e sagrada comunhão!!!

     
  • At domingo, setembro 03, 2006 12:09:00 da tarde, Anonymous ANIT said…

    Para ti quem tanto AMO:

    Fui ontem visitar o jardinzinho agreste,
    Aonde tanta vez a lua nos beijou.
    E em tudo vi sorrir o amor que me deste,
    Soberba como um sol,serena como um voo.
    Em tudo eu pude ver ainda a tua imagem
    A imagem que inspirava os castos madrigais,
    E as vibracoes, o rio, os astros, a paisagem,
    Traziam-me á memoria idílios imortais .

    Ainda pensei ouvir aquelas coisas mansas,
    No ninho de afeicoes criado para ti,
    Por entre o riso claro e as vozes das criancas,
    E dos sonhos que contigo nutri.
    Lembrei-me , e mesmo muito
    Do tempo em que soltavas notas inspiradas ,
    E sobre aquele ceu e plantas ,
    Bebemos o elixir das peles perfumadas .
    E como na minha alma, a luz era uma aurora,
    A aragem ao passar parece que trouxe
    O som da tua voz, melodiosa , sonora
    E o teu perfume forte, o teu perfume doce .
    Lembra-te dos passeios passados ,
    Dos passeios de demos devagar ..
    Entra agora tu num momento saudoso,
    RECORDA MINHA PELE AO LUAR..

    AMO-TE COM TODA A MINHA FORCA ...

     

Enviar um comentário

<< Home