Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sábado, agosto 26, 2006

Missangas

Os deuses inventaram
as missangas
para que um dia
no momento em que o mar
embalar as conchas do futuro
nesta areia eu te enfeite
com os beijos das marés
quentes e doces

2 Comments:

  • At domingo, agosto 27, 2006 6:55:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Poeta,Poeta Querido,
    Anoitece...
    envolvem-se onda e areia
    ser penetrando pensamentos
    no significado de cada gesto
    mar de expressões...
    violenta com delicadeza
    a boca sedenta
    que busca tua fonte...
    enfeita cada canto deste meu corpo
    que,já não mais me pertençe...
    perdido está
    na invenção dos deuses
    envolto a missangas
    destas tuas marés...
    sempre tão doces!
    sempre tão quentes!

     
  • At segunda-feira, agosto 28, 2006 12:18:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    "missangas" e deliciosamente suave. Adorei o k aqui vi...se me permites dizer. Parabens pelo blog.Tuchamz

     

Enviar um comentário

<< Home