Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, agosto 03, 2006

No prelo

2 Comments:

  • At sexta-feira, agosto 04, 2006 7:06:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Amado Poeta!
    AGRADECIMENTO
    Tranquilo pertencer aos que evocam o próprio.
    Clamando o caminho antes da localidade
    Do dócil pensar
    Contra si mesmo...
    conduzida con-duta.

    Miseravelmente guarda algo ínfimo
    Inexpresso legado:
    Dizer Aletheia
    Nomeação da iluminação:
    Desocultamento da retenção
    De um antigo consentimento
    A partir de um duradouro começo.
    (Martin Heidegger)
    Parabéns querido!
    Eis teu livro...que seja este,o primeiro...de um duradouro começo!
    Creia-me...a felicidade me abraça neste momento...e,contigo estarei no dia do lançamento deste tão maravilhoso "POEMAS DE AMOR PARA TE"!.......já espero o segundo,terceiro,quarto...infinitoslivros teus...poemas teus-meus!

     
  • At domingo, agosto 13, 2006 3:51:00 da tarde, Anonymous ANIT said…

    POETA..
    Poeta,louco,sonhador.
    Esquecido,posto de lado,
    Ilustre desenho, criador,
    Dos sonhos do nosso fado!
    Contador de lendas e historias,
    UM fascinio de crianca ,
    Vago olhar sobre memorias,
    Do que ja foi uma esperanca .
    Rebelde imcompreendido,
    Lancando-se ao desafio,
    Um boemio bandido,
    Na pele de um nobre vadio.
    Poeta, faz-me sonhar!
    Faz-me viver e sentir,
    Quero sorrir e chorar,
    Quero matar sem ferir!
    Quero afogar as penas,
    Da saudade flamejante.
    Deixa mata-la em poemas,
    Neste meu mundo distante!
    Poeta! So ele é livre,
    Asas da imensidao,
    Quero viver como ele,
    Conm felicidade no coracao ...

     

Enviar um comentário

<< Home