Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quarta-feira, setembro 13, 2006

Dois gomos


Inventei os teus lábios
dois gomos
e agora todos os dias
deles faço o trilho
persistente
destes poemas
que são tu
habitando-me

(sabes que os deuses
aprenderam connosco
a beijar?)

2 Comments:

  • At quinta-feira, setembro 14, 2006 5:28:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Homem-Poeta,
    Meus lábios...gomos teus...
    bem sei o que sentes
    ao tomar-me rindo
    riso secreto,intrépido...
    beijando-me incessante
    neste constante trilhar
    sobre flores petrificadas...
    violêtas,liláses,róseas,amarelas...
    e tu anjo meu
    a andar sobre elas...
    doce e persistente
    indo...vindo...
    sempre deitar,tocar,sugar
    minha boca...fruta gomos...
    teu néctar tropical;
    Alimento-te amante
    em cada beijo beijado
    sentido...em cada parte de mim
    movimentos perfeitos...divinos!
    Tudo à nossa volta é silêncio...
    nós...delírios,ãnseios,gemidos,
    entorpecimento;
    Assim...faz assim
    homem de mim
    quero-te assim
    delícia de mim
    sussurras baixinho
    ai de mim!
    Desejos vão surgindo...
    esvaindo-se em paixões...desvairados
    sugamos nossos sumos
    como a doçura que te enfeita a alma
    só tu me acalmas
    e me denuncias...
    vem...volta...vê...
    meus lábios entreabrem-se
    procuram os teus...suplicam-te
    mais beijos...
    Beija-me Amor!...Assim!!!

    (enquanto árvores curvam-se e deuses emudecem!)

     
  • At domingo, setembro 17, 2006 7:48:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Acredito.Bjs

     

Enviar um comentário

<< Home