Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

domingo, setembro 17, 2006

Janela das noites

Cada estrela
é um espanto de ti
uma semente tua
quando abro
a janela das noites

1 Comments:

  • At segunda-feira, setembro 18, 2006 7:12:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Poeta Amante...

    Abre pois
    todas as janelas
    das noites em que me sentes
    a energia estrelar
    fonte que me conduz
    invadirá a certeza
    que te sou e estou
    em teu peito,leito
    sempre infrene...sempre infrene
    na constância das madrugadas
    amando-te!...adorando-te!
    Sem espanto...puro encanto
    no silêncio do ócio noturno
    deito-te suave
    sobre o brilho que te sou
    gesto que te prendeu
    amou-me devagar...excitou-me
    em carícias celestiais
    o dia invejoso
    já se mostra tímido
    flutuei...leve e plena
    toquei ainda
    os lábios que me beijaram
    te sorri cândida
    e,regressei rápido
    para o céu
    da tua minha vida!!!

     

Enviar um comentário

<< Home