Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

domingo, setembro 24, 2006

Os versos do teu sim

Quando um pássaro levanta voo em cada dia de mim
disputo aos deuses o direito de criar cada palmo de ti
e assim no regaço dos poemas que ainda não escrevi
acrescento mais um verso para os versos do teu sim

1 Comments:

  • At segunda-feira, setembro 25, 2006 8:08:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Meu Doce e Amado Poeta,

    Não precisas disputar-me
    com homens ou deuses
    repara meu amor,
    que cada pássaro em seu levante
    desenha no céu azul
    o molde que te sou
    Tua - eterna criação!
    Já te disse outras vezes
    e agora outra vez direi
    és imperativo no em-mim
    e,para tudo,para todos
    céu,terra,homens,deuses
    meu sentir será constante no em-ti
    terás sempre minha resposta:
    Sim!
    Sim!
    Sim!
    Oh! Amante!
    Oh! Homem!
    Oh! Deus de mim
    eternamente terás meu Sim!
    Bendita seja verdadeira exclamação!!!
    Sim!
    Sim!
    Sim!
    Adoro-te homem-poeta de mim!

     

Enviar um comentário

<< Home