Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

domingo, setembro 17, 2006

Ponto final

És um ponto de interrogação que cada vírgula de mim ameniza sempre que os teus dois pontos me tornam tenso e eu busco a certeza de me seres o ponto final.

1 Comments:

  • At segunda-feira, setembro 18, 2006 4:53:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Amado Poeta...

    Sentindo-me, ponto de interrogação
    já aqui me encontras...
    sem questionamentos
    cara e alma lavada
    sem mácula que te perturbes a calma
    faz de mim o que bem quizeres
    exclamação - ès-me!
    reticências - ...por tudo que és
    vírgula- adoro-te,homem de mim
    ...
    Mas...
    segue aqui
    um registrado aviso meu
    serei qualquer coisa em ti
    jamais porém
    Um ponto
    que nunca será final...
    estou e sou
    constante devir
    meu estado ou ponto
    minha certeza
    que sou-te porque sou-te
    Eterno vir-a ser
    Sempre no em-ti!

     

Enviar um comentário

<< Home