Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, setembro 07, 2006

Sonho


Deitado no teu sonho
Tranquilo em minha memória
Folheio devagar o futuro que me és

Distante, o último bando de pássaros estivais
sobrevoa o rio em toda a extensão deste sonho
__________________
Escultura de Camille Claudel (1864/1933)

4 Comments:

  • At quinta-feira, setembro 07, 2006 7:55:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    simples e belo. bjs Tuchamz

     
  • At sexta-feira, setembro 08, 2006 6:36:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Sonhador Amante Meu,
    Chegastes em meu sonho
    mansamente...deitado
    teus braços me envolveram
    tranquilo,sensual,terno...
    Senti tua chegada...estremeci;
    Mas...não quis acordar
    deixei o momento
    acalantar teu sono
    estavas tão lindo...tão sereno...!
    Me aconcheguei ainda mais
    no vasto mundo
    deste teus braços
    protegida, aninhada...
    controlei meus impulsos
    e, tão somente assim fiquei
    Sentindo-te...Velando-te...Adorando-te!
    Com olhos enternecidos - o sono traiçoeiro
    me envolveu...até que amanheceu
    Despertamos...
    com bandos de pássaros em revoada
    riscando no céu
    o caminho do futuro que nos somos
    vejo covas em teu rosto
    sorri amor?
    Vê tambem meu rosto
    covas se fazem presente
    na cumplicidade do riso...
    na certeza do encontro...
    no caminho do futuro!!!

     
  • At sábado, setembro 16, 2006 10:17:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Tao belo e tao profundo que nos faz lembrar o por do sol no zambeze em Tete e o nascer do mesmo sol no macuti da Beira. Bj,Isaura

     
  • At quarta-feira, setembro 20, 2006 9:13:00 da manhã, Blogger Carlos Serra said…

    Isaura: foi o justamente o Zambeze o embolo do poema.

     

Enviar um comentário

<< Home