Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, outubro 05, 2006

Ciúme

E assim o ciúme rói as noites
porque sabem que as madrugadas chegarão
para lhes disputar o amor dos dias

2 Comments:

  • At domingo, outubro 08, 2006 7:17:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Meu Amado...Meu Amor...Meu Poeta!

    Aqui estou
    para bem dizer-te
    meu homem,meu poeta,meu deus...
    as noites são ternas e eternas...
    as madrugadas estão nelas
    feito anjos vigilantes
    sempre atentos
    aos alentos
    das noites vivídas...sonhadas...
    em escritos feito para o Amor
    que ti...me és
    cuidadosamente "guardados"...
    em caixa selada,sagrada
    dos mais puros sentimentos...
    vai caindo a noite
    por sobre meu corpo...minha alma
    Chegam auroras
    chegam brisas...
    Chegam ciúmes?
    Logo chegam ventanias...
    Não..não amor meu
    nada rói
    nada disputa
    Só dói...no peito da noite
    que te sou
    a ausência da tua presença
    Oh! minha onipresença
    Sinto-o...
    Sendo noite...sendo dia...
    Sou tua
    Sempre tua...
    Meu anjo
    Meu Senhor
    Meu amor

    Adoro-te!
    Adoro-te!
    Adoro-te!

     
  • At terça-feira, outubro 10, 2006 12:30:00 da manhã, Anonymous Solange F. said…

    Feliz regresso anônima.Este lugar fica por demais real sem sua presença.Só estava observando,de longe,pensei até que não voltaria.Que bom este brinde que voces nos ofereçe.Voces são encantadores,magníficos.

     

Enviar um comentário

<< Home