Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, janeiro 25, 2007

Agora aeu culimar sua corpo

Vem maria esteira estar quente
noite faz conta aquele caju mufana
pôr nosso cabeça xingomana

Mas vou pidir uns coisa maria
você num precisar pidir para aeu amar você
quando você dizer joão precisa amar amim
aeu perder corage
ficar como aquele árvore cabou vontade
e bandonou seus filho folha

Você precisar saber maria de minha coração
amor num precisar falar
amor num ter os hora
amor num ter os lugar
amor num precisar pensar
amor num precisar amor

Você precisar saber mais maria
amor num ser andar
amor num ser cabar
amor sempre ser os coisa de começar
porque quando cabar quando andar
amor ficar como sapato perdeu os cor
num ter sabor

Maria esteira estar quente
noite faz conta aquele caju mufana
pôr nosso cabeça xingomana
precisar começar agora maria
aeu num fala mais
aeu abrir sua machamba doce
agora aeu culimar sua corpo

3 Comments:

  • At sexta-feira, janeiro 26, 2007 3:45:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Querido Homem Meu,

    Homem!!!
    Não precisa chamar-me
    Eu Sou
    a esteira...teu calor
    auto fogo do querer
    contigo
    amor fazer
    não peço-te que me ames
    neste hoje, amanhã...
    nem mesmo no passado
    quando por vezes
    passava-me mãos em sonhos
    inquietações...
    desejos contidos, reprimidos...
    por razões das razões
    teu coração saber, tudo saber

    Agora esteira sou, estou, calor
    deita por sobre mim
    sim...assim!!!
    faz assim!!!
    gosto assim!!!
    sabes de mim, do tudo
    que mais amo em ti
    peço-te sim
    mil vezes sins
    vê...encontrei tua coragem
    toma homem
    veste-a, pega-a
    segure-a forte, não a perca mais
    entra...
    meu corpo - tua casa
    meu querer - porta de acesso
    vem cá
    sou em quem te chama agora
    entra em mim
    sem licença
    vem assim!!!
    Sempre assim!!!
    Ai Homem!!! Ai Homem!!!
    Desejo de mim!
    Desejo de ti!
    Desejo louco!
    Beija o doce que te gostas
    partes deste corpo meu
    todo o meu fruto sabes que é teu
    Nem sei mais do que sei
    Sinto-te agora
    psiu!!!
    Nada mais diz
    Estou...sendo-te!
    Estás...sendo-me!
    Aí!!!
    D e l í c i a
    amamo-NUS
    sem fim...

     
  • At sexta-feira, janeiro 26, 2007 8:49:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Responde:
    Quando você culimar meu corpo, vai nascer raiz chamado certeza de amar?

    Enxada magoa mais que saudade nas vezes em que corpo culimado espera a sementeira,
    dai que só a certeza de amar fará desaguar doces frutos nas curvas de cada momento que passaras na culima de mim.
    É na certeza do que me das que o meu corpo te espera igual margem do Zambeze em mês de março húmido.
    Culima minha alma.
    Tenho-te.

     
  • At sábado, janeiro 27, 2007 9:33:00 da manhã, Blogger Diva said…

    Culimar e tarefa ardua...para o corpo e para a alma.
    Bjs meus

     

Enviar um comentário

<< Home