Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

A água e o copo

Ó vós gentes das causas vãs!
Dizeis-me que um copo é um copo
e que a água é simplesmente a água?
Que tudo se resume ao copo que seguro
e à água que bebo pelo copo?
Pois desenganai-vos vis seres dos sentidos errados!
Sabei então que as coisas são bem diferentes
e escutai esta história que vos vou contar:
A água é uma mulher filha dos sonhos
que os maus espíritos expulsaram
do reino das mulheres ciumentas e exigentes
O copo é um princípe condenado ao exílio serviçal
para servir aqueles que o expulsaram por despeito
do reino dos poderes ínvios
E desde então ao sabor de segredos jamais conhecidos
chama o copo a água entra a água no copo
e por dias consecutivos desaguando em noites sem fim
nos rins suados das madrugadas sôfregas
eles se amam eles se possuem
eles horizontam o leito da pureza sem limites
E se por torpe ironia do destino
um dia a água transbordar do copo
em estalido súbito em chamado forte da natureza
estareis absurdamente errados se pensardes
que foi tibieza de bebedor ou desatino de amante
que tudo ocorreu que tudo saltou as margens
pois simplesmente o que transbordou foi excesso de amor
e excesso de amor sempre encontra de novo o seu copo
como o copo reencontra a sua água

(Por isso minha princesa das água vivas
acontece que te copo sempre que me águas)

5 Comments:

  • At quarta-feira, fevereiro 14, 2007 8:30:00 da tarde, Blogger Aut said…

    A água do rio (que és), a água do copo(que ela é), a água que derramas, a água que bebes...
    Águas vivas que chovem a princesa sobre ti.

     
  • At quarta-feira, fevereiro 14, 2007 9:45:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Nos sentidos errados,
    pelos nobres enganos do que desconheço
    até então copo era copo e água era água.
    Agora, no porém das tuas palavras
    me sento escutando com a alma nos ouvidos
    e a calma nos olhos de quem te bebe em gemidos
    A historia desenganada de água e seu amado copo.

    Entrelaço-me absorvendo-te desenfreada
    esperando que o que me contas nada mais seja
    que eu e tu em contos descontados de fadas e duendes,
    de mulheres e homens, amantes do amor e da paixão
    de ser quem são e não apenas e somente água e copo.

    Água, eu filha dos sonhos.
    Copo, tu príncipe condenado.
    É isso que somos quando nos amamos?
    Quando entre os lençóis transpirados esquecemos que para trás
    ficou tudo o que esquecido foi:
    O reino das mulheres ciumentas,
    daquelas que se deixam achar donas da verdade e da mentira,
    do que foi e do que será.
    O reino dos poderes ínvios
    daqueles em que os homens não conhecem o sabor dos segredos
    do que falta e do que transborda na alma.
    Isso ficou para trás, não faz falta, não quero de volta nem hoje e nem nunca mais.

    Entre o copo e a água ficou apenas o futuro do passado,
    Aquele que vivemos nas noites de paixão sem fim,
    Aquele que sentimos nos dias de amor sem horizonte,
    Aquele que sonhamos nas madrugadas de sexo e desatino.

    Nada transborda agora. Nem excesso de amor, nem excesso de querer bem, nem excesso de excesso.

    Copo e água são agora tu e eu.

     
  • At quinta-feira, fevereiro 15, 2007 7:06:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Ó vós gentes de pensamentos maus!
    Escutai pois, a voz que me grita
    e chama, reclama e ordena...DITA:
    "Regras do Bom Guerreiro"
    -Proteja-se com força
    -Sê rapido em desembainhar tua espada
    -Nunca arrisque-se ser morto,
    por uma fama vã ou bens terrestres.

    Eu...guerreira fiel e valente
    assim bem procedi
    não busquei ou busco copos ou águas
    busco sim, pão e vinho
    busco a taça preciosa
    busco o Santo Graal
    ...estou bem...próxima dela
    já então respondi código secreto:
    -A quem o Graal serve?
    -Aos puros de coração - assim o disse...

    E, nesta saga que ora caminho
    buscando auto-conhecimento
    lanço-me em cenários medievais
    campos de batalha Vitorianos
    combatendo o bom combate
    com amor, com humor, com perspicácia, com ousadia até...
    movimentos todos
    em sinfonias Wagneriana.
    Não desejo mau nenhum
    Ao pescador Rei,
    nem mesmo à suas deusas ou servas;
    atravesso umbrais de outro mundo
    e vejo, e toco, ajoelho-me
    diante tal visão divina
    Eis a Taça - Santo Graal!
    destemida lanço mão
    deste cálice sagrado
    pois em mim, não existe mácula
    só vontades e quereres
    De Amar - Todos!
    De Sorrir - Todos!
    De Brincar - Todos!
    Poderes miraculosos à mim oferecido
    pelos Deuses sábios
    das virtudes e malícias
    inerente aos mortais humanos
    que pensam e sentem e vêem
    as venturas e desventuras
    de uma guerreira tambem humana,
    demasiada humana (ainda que assim não aparente;)
    Onde assisto Reis serem coroados
    e Deuses serem adorados...

    Minha saga continua...não mais aqui
    tenham por isto certo;
    Encontrarei outro reino
    de refeições pascais
    não mais lutarei
    em campos medievais
    estes, foram substituídos
    por espaços cibernéticos;
    Minha espada transformou-se em " teclados letrais"
    Minha rapidez e maetría transformou-se num simples "enter"
    Meu escudo virou uma "tela"
    Tudo então transformou-se...
    Minha coragem e valentia
    não se transformou...
    Agora SOU!!!
    A qualidade dual
    de dar e tirar a vida
    do ser e vir a ser
    mutante...
    mas, sempre guerreira!

    A todos vós vos deixo
    o pão e o vinho
    deixo meu cibório como presente
    o cálice porém não vos deixo,
    pois o sagrado que nele reside
    é o meu único abrigo agora...
    quando das batalhas retornar
    cansada, trôpega e cambaleante
    Eu...Mulher Guerreira,
    Meu Deus - poder tocar!

     
  • At sexta-feira, fevereiro 16, 2007 4:20:00 da tarde, Anonymous marx.s said…

    Gabi que está acontecendo? teus poemas são tão cheio de vida, paixão, loucuras tantas; sou um admirador teu, e como gostava de ser este home que tanto amas.

     
  • At sexta-feira, fevereiro 16, 2007 7:04:00 da tarde, Anonymous Anit said…

    Tu(POETA)és agua que minha sede mata
    Cada vez que eu te copo com meu desejo louco por ti ...

    AMO-TE POETA...
    ANIT

     

Enviar um comentário

<< Home