Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sábado, fevereiro 10, 2007

na esteira deste poema

Quem te disse que a chuva é chuva
e que o vento é vento?
Quem teve o intolerável desplante
de pensar que chuva e vento são apenas
os modestos êmbolos naturais da vida
uma molhando o presente
o outro soprando o futuro?
Vou-te revelar um segredo:
a chuva é uma mulher
que o vento ama quando ambos
surgem nos poros da natureza.
Sabe que não é por acaso
que a chuva é líquida
depois que o vento a possui
no doce casamento dos elementos naturais.
Sê-me então chuva chuvando-me
que eu te vento ventando-te
na esteira deste poema.

2 Comments:

  • At domingo, fevereiro 11, 2007 7:07:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Meu Homem, Meu amor,

    Quem te disse
    que alguem disse o que disse
    que disseram?
    Não sabes ainda que só ouço mesmo
    o que tu dizes?
    E agora, veja só
    já então
    teu corpo molhado,inundado
    em naturalidades; Elementos meus
    complexos, por demais complexos
    chove flores
    chove frutos
    chove risos e mais risos
    chove cismas e mais cismas
    chove paixão
    chove desejos e mais desejos
    chove amor e mais amor
    chove...mulher eu,água eu,elemento eu
    composição todas
    feitas de mim
    só mesmo tu, vento meu
    sopra-me em violência cândida
    com-sentida
    da ordem à desordem
    desarruma-me ventando-me
    arruma-me brisando-me
    vento e brisa
    na inconstância da distância
    do Atlântico ao Índico
    Ah! logo alí...
    faz-me inteira
    SOU-TE esteira
    SOU-TE chuva plena
    não só aqui em poema versado
    mas, no sempre de nós dois

    Serei chuva
    Serei molho
    serei úmida

    Eterna chuva...chuvando-te!
    Amando-te
    Amando-me
    Mas...que temporal heim?
    Tempestade!!!
    Trovões!!!
    Raios!!!
    Quanta Ventania!!!

    Quanto bom são estas leis da natureza...êxtase, êxtase
    puro êxtase!

     
  • At segunda-feira, fevereiro 12, 2007 7:49:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Não posso ser chuva se te escrever,
    Não posso molhar de prazer
    Este lugar sagrado
    Para nós criado...
    Sendo assim,
    Singela me deito apenas
    Na esteira deste poema
    Esperando somente que
    Tu vento deslizes em tão
    Precioso líquido e te chuves
    sem amanha.
    Vem...

     

Enviar um comentário

<< Home