Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

no kanimambo dos nossos corpos

Sou a parte da frente da lembrança
que, aguda nos rins da noite,
se põe a caminho dos sentidos
no momento em que te cacimbo
e tu me savanas por inteiro
no espasmo eriçado do horizonte
no kanimambo dos nossos corpos

5 Comments:

  • At sexta-feira, fevereiro 02, 2007 11:45:00 da tarde, Blogger Aut said…

    Cacimbo e savana - almadia e rio - a roçarem-se...
    Almas que se amam desde sempre. E para sempre.

     
  • At sábado, fevereiro 03, 2007 4:20:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Homem,Meu Homem

    Quando
    teus sentidos e desejos
    etceteriza de forma fac-símile
    meus caminhos, rotas doces
    geografando-me incessante
    põe-me em constância, ensandecida
    do querer-te sempre mais
    savano-te, savano-te
    intenso...por demais intenso
    teu corpo, teu todo, teu tudo
    por inteiro...savano-te!
    Vê lá o horizonte
    nada mais tu podes vê
    aqui agora estou
    Sou
    o espasmo etcerando
    quando sempre sem fim
    momento em que me cacimbas
    umedece-me em reentrâncias
    nos sulcos que ti me faz
    nas coisas baixo-ventrais
    estradas corporais...carnais
    onde secretamente
    etceterá, etceteremos
    a força do instante
    nossos corpos, aiiiiiii
    sentimos agora...delícia!!!
    Climax tropical

     
  • At domingo, fevereiro 04, 2007 10:58:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Fui lembrança de nós
    no momento em que
    meus sentidos se lembraram
    que em ti eram verso.

    A cada toque de orvalho
    que sinto enquanto cacimbas
    meu corpo espasmeia em
    arrepios estremecidos
    pelo vento aberto que me toca a pele.

    Sou savana aberta nos carinhos,
    nos toques e beijos
    sou caminho do fim sem final
    sou eu-tua em ti.

    Não me perco no kanimambo
    porque não o encontro entre
    nossos corpos suados e amanhecidos
    de pecado relido em prazer.

    Não encontro kanimambo...

    Estou exausta demais de prazer para
    Encontrar kanimambo.

    Kanimambo? Porque? Ainda mal começamos...

     
  • At segunda-feira, fevereiro 05, 2007 2:43:00 da tarde, Blogger Diva said…

    kanimambo por amar? Ou por se deixar amar?
    Bjs meus

    P.S. Como diz a Gabi Ninck... Savanemos encontrando um Climax tropical (Sei la o k isso e, mas que deve se bom a isso deve!)Kanimambo.

    P.S.1. Desculpa Gabi por ter usado palavras tuas mas gostei imenso do Climax tropical.
    Bjs meus

     
  • At terça-feira, fevereiro 06, 2007 6:39:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Diva? Não é preciso pedir desculpas minha querida.Deixou-me feliz por gostares do meu "climax tropical".
    Sim, sim...é uma delíciaaaaa, o "Climax tropical".
    Não posso revelar-te o significado, pois é um segrêdo repleto de etc...entre meu Homem e Eu.Bjs para ti.

     

Enviar um comentário

<< Home