Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

naMORAR-TE

Deixa-me naMORAR-TE
aqui à esquina desta vertigem

3 Comments:

  • At quinta-feira, fevereiro 08, 2007 6:52:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Homem meu,Homem

    na MORA-ME
    na MORA-ME
    amora-me
    amora-me

    Não só em vertígens pálidas
    mas, em ânsia e espasmos

    NAMORO-TE
    E AMORO-TE

    Não só aqui, bem sabes
    Homem, querido meu
    AMA-ME
    em esquinas de cada canto
    onde prescinto
    tuas intenções...tentações
    adentrando-me corpo e alma
    já então, tomada estou
    sentimentos doces, puros,ardentes
    todos...tão teus
    Vem...MORA em mim
    NAMORA-ME sem fim
    SER de mim!

     
  • At quinta-feira, fevereiro 08, 2007 7:26:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Já me naMORAS
    noite e dia,
    na alma,
    nos sentidos,
    no horizonte doce desta emoção.

    Eu-tua vertigem te sou no sempre
    Do que a muito sabes ser verdade.

    Caminho de mim? Segue o rasto da paixão...

     
  • At quinta-feira, fevereiro 08, 2007 9:55:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    È?

     

Enviar um comentário

<< Home