Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quarta-feira, março 14, 2007

restas tu


a memória apaga-se-me
e, silente, irremediável, desliza-me
por entre os dedos
breve faúlha de um destino

mas lá ao fundo
bem à superfície
incólume
restas tu

7 Comments:

  • At quarta-feira, março 14, 2007 10:30:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Sabes porque resto eu?
    Porque somente eu existo
    em cada fibra que desenha
    tuas mãos de artista e
    teus cabelos de prata.

    Sabes porque somente existo eu?
    porque em superfície profunda
    te habito invasora igual uma
    asa prisioneira de sua borboleta
    que voa apenas porque não encontra seu lugar.

    Sabes porque apenas estou eu?
    Porque eu horizonte de ti
    Deusa de madrugadas que apenas tu
    Conheces, habitas, tatuas...
    Te existo pura e verdadeira.

    Só vertigem total existe no eu em ti!
    Sou-te...
    Es-me...

     
  • At quinta-feira, março 15, 2007 3:25:00 da manhã, Anonymous Saudade said…

    Nunca apague-me de você...
    Por mais que pareça estarmos distantes...
    Aqui dentro de mim você vive...
    A saudade se faz presente em cada momento do meu dia..
    Por saber que não encontrarei com você...
    Ficarei sem suas palavras doces e sem seu eterno desejo...
    Feche os olhos e sinta meu desejo de ser sua completamente...
    Só assim minha alma poderá ficar tranquila...Sabendo que estou junto a ti, colabada!!
    E NOSSOS PENSAMENTOS!!!

     
  • At quinta-feira, março 15, 2007 3:38:00 da manhã, Anonymous amor said…

    O sol brilha radiante no céu... prova perfeita da natureza,e com ela os passaros cantam, brincam encantam... como vc,renovando-se e tornando-se perpetuo em nos que te amamos.

     
  • At quinta-feira, março 15, 2007 6:38:00 da manhã, Anonymous Gabi Ninck said…

    Homem, querido Meu

    Bastou ficar eu
    poucos dias sem aqui poder vir
    para que te sintas assim?
    Qual caminheiro triste
    sem ter por certo destino teu?
    Contenta-te assim com tão pouco?
    RESTO...
    é coisa restada
    é coisa passada "pegada"
    é coisa que não te completa
    é sentimento já sentido e esquecido
    nos porões da nossa memória
    é lixo jogado fora, e depois recolhido
    RESTO...
    só ficou tu...onde estão àqueles que não restaram?
    Assim teu pensar se faz...poemando
    neste poema triste
    onde encontras ainda
    quem te queira ser
    RESTO!

    (No instante que meu sentir saber-me resto em ti ou outro alguem que não sejas tu...sairei mansinho, triste e Vitoriosa,pois sabendo-me Deusa...!Serei TUDO para ti, ou para outro, nunca mas nunca mesmo...RESTO SEREI.)

     
  • At quinta-feira, março 15, 2007 10:07:00 da tarde, Blogger Sara said…

    Serei todo o resto que quiser, mesmo o seu resto.

     
  • At sexta-feira, março 16, 2007 1:38:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Restarei...estarei, sempre contigo.
    Dórica

     
  • At domingo, março 18, 2007 9:45:00 da tarde, Blogger Sara said…

    Hoje nao tem poema...

     

Enviar um comentário

<< Home