Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sábado, abril 07, 2007

memória



9 Comments:

  • At sábado, abril 07, 2007 9:06:00 da tarde, Anonymous sentindo... said…

    Esta nova versão onde vc escreve a seu próprio punho,nos da uma imensa senssação de aproximação e intimidade com você que é nosso poeta.Agora mais do que nunca te sinto!Seu poder de mutação e enovação me fascina,não tenho senão outro sentimento no momento que não seja te parabenizar e te disser mais uma vez que sou sua fã, e te acho um ser de uma magnitude explendida.

     
  • At sábado, abril 07, 2007 9:08:00 da tarde, Anonymous sentimentos said…

    lindo! lindo!!

     
  • At segunda-feira, abril 09, 2007 7:03:00 da manhã, Blogger 3x4 said…

    Em cada ontem
    onde despes à memória
    em deslises e afagos
    feitos de mim
    já então sinto
    o que sempre fui em ti
    em carícias e seios nu
    espero-te...em ânsia louca
    vem prá mim
    neste beijo de frescas saudades
    vem...com vontade
    nas coxas da madrugada
    já então, deitada estou
    em eterna esteira quente
    ama-me, ama-me até o poente
    e, se desse ultrapassar...
    nada não,passamos, passemos
    juntos tudo sabemos, queremos
    do amor que somos feito
    do amor deste sempre efeito
    lugar sem tempo
    espaço único do sonho
    que não é só teu
    é meu - É Nosso!

     
  • At terça-feira, abril 10, 2007 7:43:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Magnifico!
    Parabéns.
    Sempre se superando.
    Me encantas!


    Dórica

     
  • At quinta-feira, abril 12, 2007 10:03:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Na procura da memória de mim
    me perdi encontrando-me em ti
    para me despir assim...
    A ausencia da tua presenca sempre aqui
    Madrugada em mim.

    Nesta palhota, a memória despida
    nos cantos desse amor que te ama
    a desmemória...de te ser...
    No presente apenas o passado
    pois é nesse ontem que esta o futuro
    irremediavel e renovado
    sempre com...ou sem memória
    apenas madrugando saudade.

     
  • At sábado, abril 14, 2007 10:03:00 da manhã, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Só agora estou sabendo
    que sou memória
    em tua memória
    que fui estória
    em tua história
    e agora? faço o que?
    vou embora?
    ou fico aqui
    parada em estado de estátua
    esperando
    ser clicada
    por esta fotografia 3x4?

     
  • At sábado, abril 14, 2007 10:12:00 da manhã, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Só agora me dei conta
    se sou memória
    é porque morri.

    E, se morri
    que faço então aqui?
    Espanto minha cova?
    vivo no teatro
    ou na fotografia
    3x4?
    Diz-me poeta dos meus sonhos
    Faço tudo que tu te me mandares!
    me tu te és tu te me sabes.Te-me-és-ta-tu.sou!

     
  • At sábado, abril 14, 2007 10:22:00 da manhã, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Agora fico sabendo
    que no livro da mémoria
    fui uma nota promissória
    não tendo como rasgar
    não vejo como pagar
    tudo que te tomei emprstado
    deixo para a fotografia
    todo o meu débito
    pois nem mesmo tenho
    3 dinheiro quanto mais
    x 4
    Isso é que dá
    tirar foto sem ter metical
    paga aí tu te a mim ta tu.
    vou embora 100 nenhum.

     
  • At sábado, abril 21, 2007 10:00:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Oh! Que belos poemas dessa senhora...VERTIGEM? Adorei!!!; Esse último então....lol.lol.lol...é demais!


    Ass: Antonio Maria (lol, lol)

     

Enviar um comentário

<< Home