Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

segunda-feira, abril 02, 2007

o lado fluvial do futuro


tenho saudades do que não senti
tenho especialmente saudades
muito especialmente
da cacimba que amanhã irá molhar
as nervuras nocturnas dos sonhos
estando tu aí e eu aqui

sabes que os poemas são
o lado fluvial do futuro?
a foz de ti?
o eco de ti?

3 Comments:

  • At segunda-feira, abril 02, 2007 8:26:00 da tarde, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Quantas vezes me lembrei de ti?
    Quantas vezes me esqueci de te esquecer?
    Quantas vezes me lembrei de te esquecer?
    Saudades...

    Tentei então escrever,
    tentei então sentir,
    tentei então amar,
    tentei então estar,
    saudades...

    Dos sonhos á verdade,
    da verdade o amanha,
    do amanha a cacimba,
    da cacimba as folhas molhadas
    saudades...

    Estou eu aqui e tu ai
    tão aqui...
    tão unicos que agora é
    único, foz, eco,
    Saudades...
    (tenho saudades de ter-te saudade!)

     
  • At terça-feira, abril 03, 2007 5:25:00 da manhã, Anonymous saudade.... said…

    A mesma saudade,a mesma falta eu sinto de vc...Não esqueça que em mim você vive,seus poemas para mim são a garantia que amamos juntos mesmo você ai e eu aqui!!!
    Os ecos da distancia me maltrata, me faz sentir dor no coração... Sabes muito bem que e um presente para mim!!!

     
  • At terça-feira, abril 03, 2007 8:18:00 da tarde, Blogger Diva said…

    Saudade... ultimamente só tenho saudades do futuro.
    Bjs meus

    P.S. Noto a falta de alguém por aqui... Deixa lá ver... GABIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII..... cadê você????????????? Dá uma passadinha lá no momentos vai...aparece.
    Bjs meus

     

Enviar um comentário

<< Home