Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sábado, abril 14, 2007

palhotar mais esta noite de amor

quando o fumo da queimada exaurida
culima o céu protector
quando a última almadia empresta ao rio
a silhueta da sua fragilidade
quando os patos encostam ao longe
o perto da sua história misteriosa e esguia
quando o cheiro doce e quente das plantas fluviais
abraça o canavial túrgido do fim da tarde
quando a noite chega enfim
inteira e quente e cacimbada e ávida

eu deito os teus seios nos meus sentidos
e assim começamos mais uma noite de amor
neste palhotar doce de que apenas são cúmplices
os grilos e os pirilampos que nos protegem

3 Comments:

  • At segunda-feira, abril 16, 2007 9:38:00 da tarde, Blogger Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Fumo
    céu
    almadia
    silhuetas em mistério,
    amantes que se amam.

    Aroma
    sabor
    odor
    histórias que se reencontam,
    amores que se acontecem enfim no afim.

    Noite
    cacimbo
    mistério
    calores que se queimam,
    metades que se completam.

    Nos meus seios a pressão dos teus sentidos
    o começo de mais uma noite de amor...
    Na minha boca a húmidade quente e doce dos beijos frégeis
    inteiros, amantes, cúmplices...
    Assim como olhares que se encontram
    Sou EUTU, sempre... sem travessão
    Palhotando mais esta noite de amor.

     
  • At terça-feira, abril 17, 2007 6:27:00 da tarde, Anonymous Anit said…

    Encantador, Charmoso , Sincero, dedicado e acima de tudo Fantastico nas breves palavras que escreves e que se entranham em meu corpo....... , tal como sempre te conheci...


    Da tua saudosa vigilante...
    ANIT

     
  • At terça-feira, abril 17, 2007 11:14:00 da tarde, Blogger Doce de Chocolate said…

    mto lindo... bjinhos

     

Enviar um comentário

<< Home