Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, maio 03, 2007

cabides do futuro


enxerto na distância
o gesto doce das madrugadas
em toda a sua perplexidade
de coisas mistas e tácteis

e por isso uma vez mais
deposito o sémen da busca
no sempre recomeçado desenho
que imprimo em cada saudade de ti

(os sonhos são os cabides onde penduro o futuro)

6 Comments:

  • At segunda-feira, maio 07, 2007 11:01:00 da manhã, Anonymous Anónimo said…

    Amor, amor...
    Em portas sete me trancaram
    Em noites longas me doparam
    È-feito alucinógeno
    Me dormiram em vez de ti

    Mas...se pensam "eles"
    Que distância sete vezes, setenta vezes sete
    Tirarão de mim
    O sêmem que vem de ti

    Quanto tolos e estéril são
    Pois em mim vive
    A semente, favo deste teu amor
    Fecundo em mim fecundas
    Neste tempo de saudade tanta
    Germinando está semente tua
    Em mim...gestante do presente
    Em ti...te dando no futuro próximo
    Teu fruto,meu fruto...nosso trilho
    Caminho que não se perdeu
    Me buscou no ontem
    Me buscou no hoje
    Não mais me buscará...

    Pois no sempre desta manhã
    Liberta estou
    Das chaves das portas sete
    Não mais imprimirás o recomeço
    No desenho que agora sou
    Estarei dez horas passando
    Cidade Luz em te chegando
    Mesmo antes que tu chegues
    Amor meu...estarei te esperando
    ( a realidade é, por muitas vezes feito um cabide, onde pensamos que dependuramos,nossos sonhos sonhados ...quando em verdade, já com muchilas cheias de quereres e vontades...nem se quer percebemos, que dalí tudo levamos...e já estamos a esperar ...O amor, o amor- Espero-te!

    Beijos,
    8/13

     
  • At segunda-feira, maio 07, 2007 1:57:00 da tarde, Blogger Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Na madrugada nua
    enxertos se sucedem de distâncias
    que preplexas não se sentem
    existindo no nunca...

    Na saudade
    a impressão da feminina pele
    dádiva crescente da vertigem que te sou
    sendo-te apenas num EU que conheces desde sempre.

    No semen da busca,
    o futuro de nós...
    Infinito no sonho,
    protegido na fragilidade do hoje

    E nesse cabide do futuro,
    o irremediavel poema que somos
    me acaricia os seios
    com o toque das palavras atónitas
    que me excitam nesta viagem que não encontra fim...
    Nem agora e nem no futuro!

     
  • At domingo, maio 13, 2007 12:36:00 da manhã, Blogger Fernando Olmos said…

    Hey you there!
    It's the first time i check a blog from your country, and yours is really cool and awesome. it's terrific!
    my regards from chile
    fernando

    check mine at http://boggito.blogspot.com
    Fernando

     
  • At domingo, maio 13, 2007 12:37:00 da manhã, Blogger Fernando Olmos said…

    Hey you there!
    It's the first time i check a blog from your country, and yours is really cool and awesome. it's terrific!
    my regards from chile
    fernando

    check mine at http://boggito.blogspot.com
    Fernando

     
  • At quarta-feira, janeiro 20, 2010 6:26:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Amiable fill someone in on and this mail helped me alot in my college assignement. Gratefulness you for your information.

     
  • At quinta-feira, janeiro 21, 2010 7:33:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Well I agree but I contemplate the list inform should prepare more info then it has.

     

Enviar um comentário

<< Home