Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

terça-feira, maio 29, 2007

liberdade de prisioneiro

quando as algemas da vida
me prendem
em sua comezinha realidade
em sua espessa rotina
em sua alma de relógio
sempre acontece que um deus providencial
(filho perverso do horizonte e da transgressão)
me dá o jeito de escapar aos poemas
para de ti fazer as algemas que busco

por isso me alimento
desta liberdade de prisioneiro

3 Comments:

  • At quinta-feira, maio 31, 2007 8:10:00 da tarde, Anonymous Anónimo said…

    Eis-me aqui, algema tua, prisioneiro meu. Sempre.
    Sempre aqui...sempre feliz.

     
  • At sábado, junho 02, 2007 7:39:00 da tarde, Anonymous Fotografia 3x4 said…

    Amor Amor

    Se algemas te prendem
    num canto qualquer de mim
    eis então nossa sina
    algemados eternos
    em dias sem fim
    onde escuto o infinito
    em sussurros me soprando
    que destas prisões
    jamais sairemos
    que seja então sem demora
    o tempo existe agora
    é nosso aliado amor

    E, que sejam os deuses
    nossos constantes guardiões
    em elo cúmplice então seremos
    a vida em plenitude viveremos

    alimenta-te de mim
    alimento-me de ti

    prisioneiros do encanto
    nem sabem eles o tanto quanto
    sempre estado sempre
    nós querer ficar assim
    neste colado calado
    bem que te quero mim
    algemas, amarras, contigo
    serei amante do que mais amo
    palavra de um nome só
    SIM!

    Asoro-te amor meu
    8.13

     
  • At segunda-feira, junho 11, 2007 9:53:00 da manhã, Anonymous Vertigem said…

    Poeta dos meus sonhos,

    Nas algemas da vida
    respiro liberdade...

    Eternamente tua
    serei sempre prisioneira
    do que me és
    do que te sou
    Vertigem.

    No feitiço dessa prisão
    a verdade...

    Amantes infinitamente
    presos na vontade
    libertos no extase,
    o prazer de amar.
    Almo-te.

    Liberdade para nós
    espiritos de paixão...

    Prisioneiros.

     

Enviar um comentário

<< Home