Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sábado, junho 30, 2007

quente definitiva recorrente

quando a noite se enxerta docemente na tarde
com seus seios turgidamente anunciadores
quando os corpos se enchem daquele torpor
dos instantes indefinidos e férteis
quando as vírgulas nocturnas
em seu jeito ágil acalmam a rudeza
dos pontos finais
dos dias apressados
quando enfim basculo entre ti e mim
como um elástico
como um pêndulo
dédalo afectivo de ambos
deixo-me então esgueirar por entre
os lençóis da noite que preparas
sabendo como sempre sei e saberei
que és mais uma madrugada
quente definitiva recorrente

quinta-feira, junho 28, 2007

Voltei


Aqui estou de novo...

terça-feira, junho 05, 2007

Ausente


Meus amigos, estarei ausente até ao dia 26. Se me for possível, tentarei mandar-vos cumprimentos de Cabo Verde e de França. Em qualquer dos casos, até breve e perdoem a pausa. Forte abraço!