Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

quinta-feira, julho 24, 2008

savano-me

savano-me para que me saibas lonjura
oceano-me para que me saibas em cada onda
doisponto-me para que me saibas parágrafo
virgulo-me para que me saibas sem ponto final

por isso hoje inventei o três:
o um para ti
o dois para mim
o três tu-eu para o futuro

2 Comments:

  • At sexta-feira, julho 25, 2008 1:41:00 da manhã, Anonymous Dórica said…

    Agora aqui.
    Encho os olhos, e o coração.
    Continuo sem palavras.

     
  • At sexta-feira, julho 25, 2008 6:14:00 da tarde, Blogger Lisa said…

    Ritual harmonioso

    Serás tu um mago? …
    Que o universo se curva
    No espírito da tua pluma,
    que aflora os aromas
    e saboreia as cores.
    Ouço o grão de infinito num
    Ritual harmonioso.


    Músico profano? …
    Eu vejo o cantar das almas
    na ondulação das tuas palavras,
    elas inventam-se uma valsa,
    Maestro, compões
    a dança do mundo invisível num
    Ritual harmonioso


    Deus pagão? …
    A brincar com os elementos,
    de suas tramas impenetraveis.
    Oiço bater o coração
    da terra grávida…
    que em ela trás o teu sonho num
    Ritual harmonioso

    Lisa

    PS: No inicio não era bem este que eu queria por aqui mas.....decedi por este..vamos lá saber porquê..

    :-)

     

Enviar um comentário

<< Home