Diário de um poeta

Aqui, onde os sonhos possuem as madrugadas e seguem em frente no arrepio do destino destes poemas de amor. Fica comigo, porque estou contigo poemando-te. Se por acaso eu não estiver, sabe que sempre estou e te estou. Sou uma vertigem no-em-ti.

sexta-feira, janeiro 27, 2012

Dona Maria

madrugada no corpo
mãos no pilão
filho nas costas
olhos indormidos
bairro do aeroporto
cidade de Maputo
em seu corre-corre
Dona Maria pila o dia
no milho da família

quarta-feira, janeiro 25, 2012

mulheres da minha terra

mulheres da minha terra
vós que produzis os dias
vós que tornais doces as noites
vós que trazeis áfrica nos ventres
eis que de vós faço as sementes
dos poemas que irão nascer